Desabafo

Esta minha semana está sendo muito ruim.

O pior que eu não sei por que estas coisas estão se voltando para mim. Eu tento compreender, ajudar. Eu tento conversar mas ela ficou evasiva, ergueu muros tão altos que eu não consigo transpassar, por mais que eu fique do lado de fora tentando escalar, os muros ficam cada vez mais altos.

Eu não sei mais o que se passa na cabeça dela e quando pergunto alguma coisa esta pessoa torna a omitir coisas. E isto para quem a conhece e sabe da sinceridade, da atenção que ela tem para com os outros… Isto corta-me o sentimento. De repente tudo que era bom não está mais ali. O motivo? Mal sei.

Só queria que esta pessoa entendesse que eu mais quero é devolver tudo de bom que ela já fez para mim e que ela me deixasse compreendê-la. Ensinar coisas como: ser você mesmo e ser feliz com isto.

Ensinar a ela que a felicidade é ser capaz de admitir e dizer: “Eu errei”. É ser sensível para dizer: “Eu preciso de você e sinto sua falta”. É ser audaz em dizer: “Eu te amo”.

Estou perdido e no momento não há ninguém chamando meu nome para que eu possa voltar para casa. Não ouço nada além dos sussuros maldizendo tudo o que eu creio e acredito ser bom. Só o suave toque dela me fazia levantar dos lugares escuros da minha mente.

Abandonar? Eu não consigo. Há em mim algo que diz que tudo vai mudar, eu creio cegamente nisto. Mas cada dia que subo este muro sem fim, menos força tenho para continuar. Quão alto é este muro? Não sei. Mas continuarei subindo de pouco em pouco até poder transpassá-lo. Determinação, não é assim que se fala? E se eu vos contar que eu aprendi isto com ela? Pois é, creiam.

“Nela todo o bem supera.
Todo o sentimento aflora.”

Não quero abandoná-la, principalmente por uma causa vã. Como eu poderei perdoá-la se ela não se perdoa achando que se me contar estas coisas irá diminuir tudo o que sinto por ela?

Eu nunca pensei que teria de escrever esta frase novamente. Eu a escrevi uma semana após a situação similar que ocorreu antes, irei compartilhar com vocês:

“Eu tenho medo de que eu não compreenda como somos distorcidos por nossos pensamentos e deixemos de ser sensíveis. Deixamos de ver que as mentiras, os erros, não são maiores que o amor, que a paz, que o afeto. Que nossos erros são momentos conturbados em que, cegos pelo egoísmo, fizemos o mal prevalecer. Perdoe-me e possibilite, deixe ser perdoada.”

Enfim, peço e torço para que ao dizer estas coisas para ela, ela se abra, lembre-se da estrela que eu dei a ela e o que há entre nós.

– “O alcance verdadeiro da arma manifesta-se quando ela é deposta, deixamos de usar nosso egoísmo, restando assim somente a paz” –

Anúncios

Sobre Lipeh

Caminha, toca, pensa e repara. Aprecia o que é incomum e gosta de brincar com palavras, sons. Convida as pessoas a buscarem epifanias, usarem os sentidos como inspiração de vida e dormirem felizes caso não alcancem-nas. Valoriza a beleza diferente, o incerto, a família, os erros, o ser humano. O Ser Humano.
Esse post foi publicado em Life Log. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Desabafo

  1. Guil5566 disse:

    muito triste ler isso.

    não vou alegar que entendo o que sente pois cada sentimento por uma pessoa é único, mas consigo tentar compreendê-lo, e só a resta a mim lhe dar meu apoio, meu voto de confiança.

    não deixe a escuridão fechar seus olhos, siga em frente e lute pelo o que quer, por quem quer, por quem ama…

    eu acredito em você, e acredito nela mesmo sem a conhecer, você me fez isso!

    sabe que pode contar comigo, amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s