Texto – Who are you?

“The Sadness, you may call me Frodo.
The Coolness, you may call me Frozen.
The Wisdom, you may call me Luiz.”

Estive sempre a pensar sobre a vida, este momento é mais um. Em várias tentativas tento descobrir cada pequeno ponto do mistério humano. Se queres enxergar ao outro, tens que primeiro conhecer bem a ti mesmo. Será que somos conhecedores de nosso interior, nossa mente, nossa vida e intelecto?

O ser humano é volátil, muda com facilidade a todo instante, como uma onda no mar. Não podemos olhar para alguém somente vendo seu passado. Cada segundo é único e diferente de qualquer outro, logo nós agimos naquele momento como talvez nunca agiríamos, uma escolha no meio de um universo de possibilidades. Um universo? Talvez milhares de universos.

Você é uma pessoa quando está sozinha, outra quando está com a sua família, outra quando está entre amigos, com seu namorado(a). Você é uma outra pessoa quando está só…

A paciência, a determinação, a vivacidade, a esperança, a dedicação, a felicidade, a sensibilidade, a alegria, o dinamismo, a evolução, a coerência, a sabedoria, a beleza, a fidelidade. Fazem parte de nós e nos moldam para sermos cada dia melhores. Porém, a falta delas é também incontestável. São nossas repostas ao ambiente, este por vezes cruel e vazio.

Você não é quem dizem que você é. Você é somente você.

A representação de um ontem, de um hoje e previsão de um amanhã. Formado a partir do que você desenhou para si. Traçou para sua mente, seu intelecto, sua sabedoria, seus sentimentos. Agindo em conjunto, formando um único ser.

“Um pensamento, uma acção num vago momento. Saiu do Universo e virou Realidade”.
~Frozen

P.S.: Texto extraído como escrito em 2008, por Luiz Felipe Urias dos Santos. Preferi não alterá-lo, já que se trata de uma memória minha.

Desejo-lhe uma boa epifania!

~Luiz Felipe

Anúncios

Sobre Lipeh

Caminha, toca, pensa e repara. Aprecia o que é incomum e gosta de brincar com palavras, sons. Convida as pessoas a buscarem epifanias, usarem os sentidos como inspiração de vida e dormirem felizes caso não alcancem-nas. Valoriza a beleza diferente, o incerto, a família, os erros, o ser humano. O Ser Humano.
Esse post foi publicado em Textos e Extraídos. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Texto – Who are you?

  1. Guil5566 disse:

    E hoje, você possui apenas vestígios desse Luiz de 2008.

    Somos todos metamorfoses ambulantes, crescendo, evoluindo, se moldando…
    Somos mestres da adaptação! Isso nos torna falsos? Não, isso nos torna apenas nós mesmos, da maneira que mais desejamos ser.

    • Lipeh disse:

      Metamorfoses ambulantes é a sentença ideal que Raul Seixas usou.
      E nossas metamorfoses são instantâneas e incontroláveis, mudamos e aquele que fomos no passado vira um traço na nossa nova personalidade.
      E como ele mesmo disse, não somos falsos, apenas praticamos e aprendemos a atuar.

      Obrigado pelo comentário, Guil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s