Comentários – Comissário Real

Olá leitores, como vão?

Ultimamente estou publicando e escrevendo poesias devagarinho, fico com dó por deixar o blog meio parado, mas também não quero que eu sofra da Síndrome do Papel em Branco, como costumo chamar. SPB afeta profundamente a todos, imagino, sofro. Como sofro.

O exemplo mais óbvio desta síndrome é quando você está em frente a uma folha de redação para o vestibular, aquelas quinze linhas acabam transformando-se em oitenta páginas e por mais que você morda a ponta do lápis, risque a cadeira, bata o pé, nada vem à sua cabeça, principalmente quando você mais precisa. Você precisa passar no teste e tudo a sua volta parece conspirar.

Uma mistura de ansiedade, desespero e necessidade. A receita certa para destruir toda e qualquer criatividade.

Acredito que muitas pessoas preferem um lugar calmo, de clima ameno, uma planície qualquer fora da cidade onde nada nem ninguém os incomodarão, para então criar. Este locus amoenus como fonte de inspiração para vida e lugar feliz é o que trata o livro de Eça de Queirós que terminei de ler.

A Cidade e as Serras (1901) chamou muito a minha atenção por contrariar com uma ironia aguda todo o Positivismo da época em que o livro foi escrito. Prevendo um pouco a desgraça que estava a ocorrer, ele critica todo o avanço excessivo da técnica em nome da felicidade que por si só geraria todo um conflito para o ser humano, este desaprenderia a viver e não veria graça em nada mais que a tão aclamada Civilização oferecia-o.

Pensando um pouco no livro foi que escrevi esta poesia. Ela não trata alguma discussão importante sobre a Humanidade, só um cotidiano comum de uma pessoa comum de outrora. A cidade, as obrigações, a tamanha preocupação com os deveres superficiais o distraíram.

Seguindo por esta linha poderemos concluir por nós mesmos se a evolução da tecnologia e das comodidades da cidade, em vez de tornar-nos mais felizes apenas atraíram-nos para o seio recluso e fechado da cidade e dos seus cidadões.

“Como viver de forma saudável nesta cidade?”

“O Oceano de concreto está querendo nos engolir…

As Luzes de neon estão querendo nos cegar…

Mas dentro de algum lugar a boa experiência ainda vive.”

Desejo-lhe uma boa epifania!

~Luiz Felipe

Anúncios

Sobre Lipeh

Caminha, toca, pensa e repara. Aprecia o que é incomum e gosta de brincar com palavras, sons. Convida as pessoas a buscarem epifanias, usarem os sentidos como inspiração de vida e dormirem felizes caso não alcancem-nas. Valoriza a beleza diferente, o incerto, a família, os erros, o ser humano. O Ser Humano.
Esse post foi publicado em Comentários, Música e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Comentários – Comissário Real

  1. Guil5566 disse:

    Maldita SPB que com o tempo me fez desistir do mundo da escrita.

    Se eu soubesse sobre o que se passava A Cidade e as Serras teria lido o livro na época de vestibular, chamou minha atenção a previsão nele de como minha vida é.

    Neste oceano de contreto onde ficamos cegos de tanto o que ver e surdos do tanto o que ouvir, sem o menor esforço ou mesmo vontade, a informação se torna a maior arma contra nós mesmos.

    Antes dela te afogar, é melhor aprender a nadar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s